Receitas tradicionais

15 Melhores Restaurantes Tex-Mex da América

15 Melhores Restaurantes Tex-Mex da América


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Os votos foram tabulados e temos o prazer de anunciar as 15 melhores redes de restaurantes Tex-Mex da América.

Fizemos uma lista das 50 principais cadeias de restaurantes Tex-Mex em todo o país e pedi para você determinar qual é o melhor com base na qualidade do ingrediente, serviço, seleção e experiência geral.

Agora, nós reduzimos para os 15 primeiros, com base em seus votos.

As 15 melhores redes Tex-Mex da América (apresentação de slides)

Os americanos adoram Tex-Mex. Há uma razão pela qual existem milhares desses restaurantes em todo o país. Mas quais são as origens dessa culinária e por que nos importamos tanto?

O conceito de Tex-Mex é relativamente novo. O primeiro vestígio dele apareceu na década de 1940, de acordo com Food Timeline. Mas não ganhou impulso até a década de 1970, quando foi considerado moderno.

O nome Tex-Mex vem dos restaurantes que abriram em cidades do sudoeste com grandes populações mexicanas e é uma versão da culinária regional do México. Alguns também podem argumentar que é uma versão da comida mexicana preparada por cozinheiros texanos.

Avançando para os dias de hoje, o Tex-Mex está disponível em todo o mundo.

Embora não haja dúvida de que há uma grande diferença entre a autêntica cozinha mexicana e o Tex-Mex (você não encontrará um taco de casca dura no México), tanto os alimentos Tex-Mex quanto os mexicanos contam com os mesmos ingredientes básicos: tortilhas, arroz, feijão, carne bovina, frango, porco, molho e queijo (embora a comida tradicional mexicana seja um pouco mais sutil em termos de sabor e geralmente inclua queijo branco fresco em vez de cheddar).

Mesmo que seus menus sejam semelhantes, algumas redes são indiscutivelmente melhores do que outras. E é por isso que pedimos que você fosse o juiz e colocamos à votação.

Do arroz com feijão aos burritos, batatas fritas e salsa, os americanos estão, sem dúvida, viciados em Tex-Mex. Clique aqui para saber qual rede Tex-Mex é a favorita da América.


Os 15 melhores restaurantes Tex-Mex em Houston

Gerações de amantes do Tex-Mex gravaram suas assinaturas na porta da frente em The Don’Key em Pasadena. Lá dentro, garçonetes em vestidos vistosos - o lugar se deleita com o kitsch colorido - empilham colheradas pegajosas de queso flameado com aroma de cominho em tortilhas quentes e frescas e orgulhosamente dispensam travessas de "Sabroso", uma especialidade da casa de tortilhas de farinha frita cobertas com suculenta Pedaços de carne fajita, queso e queijo ralado.

A linda sinalização dos anos 1960 com iluminação neon El Patio é um sinal para os comensais de que este robusto Tex-Mex resistiu aos anos com graça e charme. Adicionando ao seu encanto de retrocesso está a receita de queso do El Patio, originalmente inventada pelo falecido e grande restaurante mexicano Felix. Outros clássicos Tex-Mex em oferta aqui incluem Sunrise Enchiladas com cobertura de ovo frito (o prato favorito da ex-proprietária Ana Villasana), que o restaurante afirma ter inventado antes de qualquer outra pessoa na cidade. Embora Villasana tenha vendido o restaurante de sua família para um trio de investidores em 2000, a nova equipe manteve vivas as antigas tradições do El Patio.

3 Grandes Pratos Fajita

O som de um chiado comal é o sinal de que uma festa está para começar.

El Real
A ênfase aqui está em usar bife de saia de fora - um corte de carne mais raro que faz as melhores fajitas - e servi-lo junto com tortilhas feitas na hora.

O tempo
Uma miríade de complementos que você pode emparelhar com seu parrillada são a atração principal, desde a linguiça jalapeño e costelinha até codornizes do Texas e lagosta grelhada.

Ninfa está na navegação
O que você obtém aqui são cebolas e pimentões perfeitamente caramelizados, guacamole fresco, tortilhas artesanais e os mais suculentos cortes de carne bovina.

Como você se sente em relação à banha? Se um prato de feijão frito ou uma pilha de tortilhas simplesmente não estiver completo para você sem um pouco de gosto suíno (ausente na maioria dos outros lugares hoje em dia de óleos hidrogenados), vá para Café El Real Tex-Mex. Lá, uma estética obstinada da velha escola está esperando por você - pratos de tacos fofos no estilo de San Antonio e tamales com molho de pimenta. Graças à adesão do coproprietário (e ex-editor do Houstonia) Robb Walsh às antigas receitas Tex-Mex, você não encontrará enchiladas de queijo melhores na cidade - e as fajitas, feitas com bife de saia bem marinado, rivalizam com as de Ninfa, o porta-estandarte de Houston (e não, ele não escreveu isso!).

Embora o nome do Ninfa não esteja em evidência, O tempo- executado pelo neto mais velho de Ninfa Laurenzo, Domenic Laurenzo - não pode deixar de trair sua herança. Aqui, os destaques são os pratos tradicionais, como fajitas de bife escaldante, mas também pratos modernos, como codornizes cobertas de mel ancho-mel e cañonballs: abacates fritos recheados com queijo e camarão picante. Além dos amantes da atmosfera: Richmond Ave. pode ser a casa original de El Tiempo, mas é a localização do Vintage Park em Cypress, completa com escadaria arrebatadora e tetos altos, que realmente deslumbra.

Como El Tiempo, Patrick Torres Escalante’s nasceu de outra instituição Tex-Mex: Guadalajara, que sua família administrava originalmente. Torres abriu o primeiro Escalante's na Voss Road. em 1993, então se expandiu, vários anos depois, para a localização original de Guadalajara em Town & amp Country Village (Guadalajara, sob nova propriedade, mudou-se para a estrada I-10 e Gessner). O cardápio do Escalante's é mais leve e agitado do que seus predecessores robustos e um pouco mais sofisticado. O escaveche com pedacinhos de camarão, peixe, abacate e manga fica ótimo, assim como o fajita relleno: carne de fajita enrolada em poblano recheado com queijo e coberto com queso. Não perca o excelente bisque de milho torrado com xerez ou as margaritas Loco Mango, com muitas frutas frescas em cada copo.

A sala de jantar do Don’Key

No Fiesta en Guadalajara, você não ficará surpreso com o cantor mexicano em um canto cantando "Por Tu Maldito Amor", os abuelitas fazendo tortilhas frescas na sala de jantar ou as excelentes enchiladas - embora você possa ficar momentaneamente confuso com a tragada das quintas-feiras à noite shows nesta instituição Tex-Mex. O show pode ser enigmático, mas a comida não. Adoramos as enchiladas de rancho cobertas com molho vermelho picante, batatas fritas e cenouras fritas, sem mencionar o Texas Combo à moda antiga, completo com enchilada de queijo, tamale e um taco de carne crocante.

O restaurante familiar em Sugar Land conhecido como Lupita's costumava ser um adorável buraco na parede. Então, o segredo foi revelado. Nas noites de fim de semana, você encontrará uma longa fila esperando pelas tortilhas frescas do proprietário Lupe Garcia, pratos gigantescos de nachos e tamales com molho de pimenta. Tudo é feito de raiz neste lugar, que Garcia dirige com o marido e os dois filhos, e o amor transparece em cada garfada.

Queso Kings

Um tour de quatro partes dos clássicos queso de Houston, uma vez e futuros

Felix Queso do El Patio: a receita original do restaurante mexicano de Felix por volta de 1948

Molina’s Jose’s Dip: coberto com carne picante de taco

Queso Loco de Gringo: coberto com creme de leite rico, guacamole e carne moída

Chili con Queso do Fusion Taco: servido com batatas fritas na hora

Em 1993, Russell Ybarra transformou o restaurante de seu padre em Pearland em Gringo's- o primeiro no que viria a ser um império. Hoje, o portfólio de Ybarra inclui nove restaurantes Gringo e vários Bullritos e Jimmy Changa's. A estética familiar permanece firme no Gringo's, onde os cones de sorvete cremoso são sempre gratuitos e você pode se deliciar com grandes porções por preços baixos. Adoramos o prato combinado Presidente, com enchiladas de queijo, chalupa, chile con queso, um taco de carne crocante e guacamole, tudo por menos de US $ 11, assim como o Veracruz: quatro camarões recheados com queijo e embrulhados em bacon com um grande prato de fajitas de carne por apenas $ 17. Bônus: há até um menu sem glúten.

“Uma tradição de Houston desde 1941” diz o menu em Molina's, que foi guiada por três gerações sucessivas da família de mesmo nome. De certa forma, os restaurantes mudaram pouco nesse ínterim: o clássico combo da Cidade do México ainda é servido como era há sete décadas - em três grandes pratos de enchiladas, tacos, um tamale e muito mais (muito mais). O restaurante continua sendo o favorito do ex-presidente George H. W. Bush, que foi um dos primeiros clientes quando o novo local do Bellaire foi inaugurado em 2012.

O que resta a dizer sobre o restaurante que deu ao mundo fajitas e molho verde cremoso? Isso não Os Ninfa's Originais na Navegação está descansando sobre seus louros. O restaurante histórico de Ninfa Laurenzo - de propriedade e operação independentes desde 2006 depois de ser comprado separadamente dos outros locais franqueados - continua a aumentar a parada a cada ano com um pátio ampliado, ônibus de e para os locais esportivos do centro da cidade, uma coleção ambiciosa de coquetéis e pratos criativos do chef Alex Padilla, como salmão grelhado com crosta de toupeira. Claro, você ainda pode obter as famosas fajitas de Mama Ninfa, feitas com bife de saia de fora e servido com tortilhas frescas e fofas.

Enchiladas da cozinha Enchilada de Sylvia

O fascínio de Cantina de Pappasito é simples: não importa qual dos 23 locais em todo o estado que você visite, o serviço é sempre pontual, a comida excelente. Consistência é o nome do jogo da família Pappas, e eles construíram um impressionante feudo de fajita como resultado. Amamos o básico aqui, que geralmente é a coisa mais difícil de acertar: guacamole de mesa, nachos de fajita de carne e - naturalmente - as próprias fajitas.

Como você pode esperar, Sylvia’s Enchilada Kitchen é conhecida pelas elegantes enchiladas da proprietária Sylvia Casares - a maioria com o nome de cidades no sul do Texas - mas gostamos igualmente de sua sopa de fideo de estilo caseiro (a versão mexicana de macarrão de frango) e codorna grelhada com algaroba, que, além de sendo delicioso, evoca imagens de noites passadas ao redor da fogueira em viagens de caça ao Vale.

“Ou você ama o lugar ou não”, diz o site da Vila Espanhola, um carnaval de luzes de Natal multicoloridas e margaritas pesadas em tequila por mais de meio século. Nós adoramos - especialmente as Enchiladas-A-La-Taylor com muito cominho, uma especialidade da casa que cobre enchiladas de queijo com chile com carne, mais queijo e, em seguida, muitas cebolas brancas em cubos. Igualmente populares: os pratos Chalupa-A-La-Bales, que permitem combinar uma chalupa crocante com quase qualquer outro item do menu.

O prato de fajita em Teotihuacan

O original rosa brilhante da Heights on Airline é o nosso favorito Teotihuacan, tanto pelo pátio barulhento quanto pelo imenso mural maia. As margaritas fortes e baratas e as parrilladas transbordantes de carnes grelhadas também não fazem mal. Para aqueles que desejam uma refeição um pouco mais leve, o pargo ao coentro ao molho meunière continua sendo uma das melhores opções da cidade.

Embora pudéssemos passar sem o serviço de manobrista (afinal, este é Garden Oaks), Restaurante mexicano de Tony está perdoado - é apenas tentar cuidar de clientes leais da melhor maneira que pode. O interior aconchegante e acarpetado nos lembra a casa de uma tia favorita, e o serviço faz você se sentir como uma família também. As enchiladas de Tony são absolutamente matadoras, ostentando um rico molho de pimenta e muito queijo pegajoso, e as margaritas são enganosamente fortes (no bom sentido!).


As maiores cadeias de burrito dos EUA

Hoje é o Dia Nacional do Burrito e restaurantes em todos os EUA estão comemorando dando comida de graça aos clientes ou oferecendo ofertas especiais.

Os amantes do burrito certamente têm seus estilos favoritos e locais secretos que frequentam. Mas quando se trata das maiores redes que vendem burritos e comida Tex-Mex, os americanos votam com os pés (e com a carteira). A Taco Bell foi a rede mais vendida em 2017, com quase US $ 9,8 bilhões em vendas, seguida pela Chipotle, que vendeu burritos, tacos e tigelas por aproximadamente US $ 4,5 bilhões.

As duas maiores redes estão muito à frente de seus concorrentes, de acordo com a revista especializada QSR. El Pollo Loco, que ficou em terceiro lugar e vende frango, bem como estábulos Tex-Mex, faturou apenas US $ 842 milhões em vendas em 2017.

Outras pesquisas mostraram que, para muitos americanos da geração Millennial, mais de um dia por semana é o Dia do Burrito. Em uma pesquisa do Moe’s Southwest Grill, 72 por cento dos Millennials disseram que comiam de dois a três burritos por semana, em comparação com 90 por cento dos entrevistados da Geração X dizendo que comiam um burrito por semana em média. Enquanto isso, uma pesquisa YouGov de 2019 descobriu que o mexicano era a segunda cozinha étnica mais favorita na América, com a preferência de 86% dos entrevistados. Apenas o italiano foi mais popular, com 88% dos americanos dizendo que gostaram.


Nachos

Nachos - Tex Mex

O lanche favorito dos bares de esportes, & # xA0nachos, são definitivamente Tex Mex. Queijo amarelo derretido, carne moída temperada e jalapenos em conserva picante são ingredientes essenciais para os sabores Tex Mex e são encontrados com frequência, se é que são encontrados no México, onde reinam frango, porco e pimenta fresca.

Chilaquiles - mexicano

Um prato tradicional do café da manhã mexicano, o Chilaquiles, tem algumas semelhanças com os nachos americanos. Tortilhas de milho (às vezes do jantar da noite anterior) são cortadas em quartos e fritas até ficarem crocantes. Eles são então cobertos com um molho parecido com salsa verde e frango desfiado. Às vezes, as batatas fritas, o molho e o frango são cozidos juntos até amolecerem um pouco, outras vezes o prato é servido enquanto as batatas fritas ainda estão crocantes.

Os chilaquiles costumam ser cobertos com crema, queijo mexicano branco esfarelado como cotija e um ovo frito. Existem variações em todo o país, incluindo chilaquiles que usam molho vermelho em vez de verde, receitas que incluem feijão e aquelas que são servidas com ovos mexidos em vez de ovo frito.


O melhor guacamole da América

O guacamole é um desses alimentos perfeitos. O abacate simples, com a adição de suco de limão, coentro, jalapenos e tomate, se transforma no rei dos molhos indiscutivelmente altamente viciante e incrivelmente satisfatório. O Daily Meal pesquisou algumas das melhores e mais exclusivas variações de guacamole ao lado da mesa e localizou dez que estão colocando seus restaurantes no mapa.

Não há nada que o guacamole não possa fazer: é o lanche perfeito, combina inúmeros outros itens alimentares e, claro, é absolutamente necessário ter à mão ao convidar os hóspedes para assistir ao grande jogo. Mas, como qualquer item culinário altamente venerado, não deixa de ser polêmico. Os puristas insistem que os ingredientes devem ser mínimos, enquanto outros têm prazer em empurrar o envelope criativo de como o guacamole pode ser. Depois, há o eterno debate sobre se o guacamole deve ser espesso ou macio.

Claro, como você sabe, este prato não é realmente divisivo, é apenas um exemplo perfeito de como todos nós temos sensibilidades diferentes. Ao contrário, quando há guacamole geralmente é um grupo de pessoas compartilhando uma refeição, conversando muito e criando memórias. A maioria de nós se lembra da emoção absoluta da primeira vez que preparamos guacamole para nós ao lado da mesa, como se tivéssemos acabado de testemunhar um truque de mágica pela primeira vez.

Felizmente, o segredo do ótimo guacamole não é tão bem guardado quanto um truque de mágica. A parte mais misteriosa do processo é saber o nome do recipiente de pedra em que o guacamole é preparado se chama molcajete e seus amigos ficarão impressionados quando você souber o nome deste exótico almofariz e pilão. Independentemente de todas as variações e preferências pessoais, não há realmente nenhuma maneira errada de saborear o guacamole e a novidade de tê-lo preparado diante de seus olhos é aquele que nunca se desgasta.

Se você gosta de suplementos como sementes de romã ou carne de caranguejo com seu guacamole ou prefere mantê-lo tradicional, não há dúvida de que o guacamole é delicioso, saudável e um ótimo prato para compartilhar com amigos e familiares. Adicione o prazer e o talento da preparação ao lado da mesa e este pode ser o alimento perfeito.

Para encontrar os dez melhores guacamoles de restaurante da América, começamos com mais de 100 variações servidas em todo o país e depois as reduzimos de acordo com os seguintes critérios: É feito na hora (de preferência ao lado da mesa)? Você pode especificar a proporção de ingredientes adicionados (por exemplo, jalapeño extra)? O guacamole é um dos itens mais populares do menu e o restaurante é conhecido por ele? E tem algo especial que o faz se destacar da embalagem?

Encontramos 10 variações de guacamole para deixar você com água na boca e sua mente, considerando as infinitas possibilidades do guacamole. Quer você seja um purista do guacamole ou um cientista louco do abacate, nossa apresentação de slides mostrará lugares que elevam o guacamole a uma forma de arte e lhe dará ideias sobre como aperfeiçoar ou ajustar sua própria receita de guacamole.


O guia definitivo para Tex-Mex em Dallas

Conhecemos lugares em Dallas onde as famílias servem o autêntico Tex-Mex há 50 anos ou mais. Mas o que é Tex-Mex "autêntico"? Mais importante, onde você pode encontrar a melhor enchilada? Nós respondemos a essas e a todas as outras perguntas Tex-Mex.

Tex-Mex é a comida que buscamos em casa. Quando voltamos de uma viagem, muitos de nós dirigimos direto do aeroporto para nossa fonte favorita de salsa. Conhecemos lugares onde as famílias têm servido o verdadeiro negócio - enchiladas de enrolar, tamales de recheio - por 50 anos ou mais. O apetite atravessa as subculturas da cidade. Chile con queso é a cola cultural que une Dallas. Nas páginas a seguir, respondemos a todas as perguntas Tex-Mex que você já teve, além de algumas que nunca pensaria em perguntar. O que, por exemplo, é Tex-Mex “autêntico”? Quem inventou a margarita congelada? E é possível colocar 12 itens em uma única placa de combinação?

The Tex-Mex Trail
De Mike Martinez a Mico Rodriguez: como comida mexicana, margaritas e dinheiro se transformaram na culinária mais amada de Dallas.

Os antigos astecas comiam tostados? Essa não é uma questão que vamos abordar aqui, mas Vanessa Fonesca sim, em sua tese de doutorado na UT. O fato de tal questão ter sido considerada seriamente prova a amplitude e a profundidade da influência que a comida mexicana tem na cultura americana. A latinização da América começou no sudoeste, e nada ajudou a unir as culturas hispano-anglo-americanas como enchiladas de queijo. Ter um restaurante mexicano foi - é - a primeira mordida do sonho americano para muitos imigrantes mexicanos na louca por restaurantes de Dallas, onde muitas empresas nem serviam mexicanos até as décadas de 1930 e 40.

A resposta asteca pode ter se perdido nas brumas do tempo, mas a origem dos restaurantes mexicanos em Dallas é bastante clara. Miguel “Mike” Martinez abriu o primeiro restaurante mexicano em Dallas em 15 de setembro de 1918, na esquina da Griffin Street com a McKinney Avenue, um bairro então conhecido como “Little Mexico”. Estranhamente, o restaurante de Mike não servia comida mexicana. Em vez disso, ele serviu pratos de estilo americano.

Nascido no México em 1890, Mike emigrou para os Estados Unidos, impulsionado pela pobreza. Quando jovem na América, ele trabalhou pela primeira vez nas ferrovias, principalmente no Colorado. Mas ele não se separou dos trilhos até chegar a Dallas, quando foi trabalhar para o elegante Hotel Oriental (que se tornou o Baker Hotel), no centro de Dallas, em frente ao resplandecente Adolphus.

No Oriental, Mike aprendeu técnicas culinárias que lhe permitiram abrir seu próprio café. Depois de vários meses servindo comida anglo, ele começou a fazer sua versão de pratos mexicanos - tacos, frijoles, enchiladas e tamales. Mas a preferência dos anglo por carne de alto valor monetário exigia que a comida mexicana pobre em proteínas fosse reforçada. O resultado - embora ninguém o tenha reconhecido na época - foi uma cozinha totalmente nova. Muito mais tarde, foi apelidado de “Tex-Mex”. Para completar o crossover, Mike cobriu as enchiladas de queijo com chili do Texas. Ele chamou seu café de El Fenix.

No início, a comida mexicana era um conceito tão novo para os habitantes de Dallas que uma manchete de 1924 no Dallas Morning News na verdade, proclamou "A Estrela do Filme Encontra Comida Mexicana com Sucesso". Em 1931, em um Morning News história intitulada “Acabei com os Whoopee Lulas”, escreveu Allen Duckworth “Muitas garotas têm complexos de comida mexicana. & # 8230 Assim que você começar a escolher um, eles o farão em Little Mexico comendo todas aquelas coisas idiotas que você só precisa apontar no menu e dar uma chance ao que vai comer. ”

Obviamente, o Whoopee Lulas prevaleceu: 33 anos depois, Mike e sua esposa Faustina mudaram-se para um local maior em 1601 McKinney.

“Em 1964, a cidade disse que precisava de nossa propriedade para construir Woodall Rodgers”, diz Alfred, filho de Mike. “Atravessamos a rua e rapidamente. Certa noite, servimos o jantar no antigo local e o almoço no dia seguinte no novo local. ”

Mike e Faustina tiveram oito filhos. Quando os filhos saíram do Exército, após a Segunda Guerra Mundial, todos seguiram o pai no negócio de restaurantes da família. A maioria das filhas também.

Para atender à crescente demanda, o El Fenix ​​e outros cafés Tex-Mex se expandiram a partir de Little Mexico. Hoje, a localização da Rodovia Noroeste de El Fenix, solidamente no limite de Preston Hollow e Park Cities, tem filas todas as quartas-feiras para a Enchilada Night. Alfred ainda trabalha na McKinney Avenue El Fenix ​​hoje, embora agora esteja à sombra de Woodall Rodgers, e Little Mexico foi substituído pelo American Airlines Center, Victory e hotéis de luxo como o W. E a comida que começou em Little Mexico pegou sobre Big D.

Fonseca, nossa acadêmica da UT com as grandes questões, postula em sua dissertação que um dos motivos pelos quais os restaurantes mexicanos se tornaram populares quando o fizeram é por causa dos avanços tecnológicos. Os itens do menu de comida mexicana, como tortilhas, cascas de taco e batatas fritas, são todos feitos de masa. No início dos anos 1900, fazer masa para um restaurante era um processo demorado, e o produto estragou rapidamente.

Em 1909, Jose Martinez de San Antonio patenteou o processo Tamalina que produzia massa de milho desidratada. O resultado final, masa harina, foi facilmente transportado e armazenado e facilitado na preparação dos fundamentos da comida mexicana. Mas o gosto, tanto quanto a tecnologia, alimentou o boom Tex-Mex.

Há uma terceira geração trabalhando agora no El Fenix, indicativo de outro precedente estabelecido por Mike Martinez no mundo dos restaurantes Tex-Mex: esta é uma empresa familiar. Mas foi a família Cuellar, fundadora do El Chico, que lançou as bases da cultura Tex-Mex em Dallas. No auge de seu sucesso, a empresa de restaurantes Cuellars era a maior empresa de propriedade hispânica no Texas, de acordo com John, neto de Adelaida Cuellar, a matriarca da família.

Adelaida emigrou do México e, em 1913, ela e seus 11 filhos se mudaram para Kaufman, onde o marido Macario era o capataz do Rancho Star Brand e onde nasceu seu último filho. Em 1924, Adelaida, sempre a empresária da família, decidiu fazer hambúrgueres, enchiladas e chili e vendê-los na Feira do Condado de Kaufman. “Em um fim de semana, ela ganhou mais dinheiro na feira - US $ 300 - do que seu marido durante todo o ano colhendo algodão”, diz John Cuellar. “Ela decidiu que definitivamente havia algo nesse negócio de comida mexicana.”

Os filhos Cuellar cresceram durante a Grande Depressão. Quando tinham idade suficiente, eles se mudaram, cada um buscando sua fortuna ao longo dos pontos cardeais. De alguma forma, todos eles acabaram seguindo os passos de mamãe, fazendo e vendendo comida mexicana - em Oklahoma, Louisiana e Texas. Em 1940, todos eles voltaram ao Texas, pegaram emprestado $ 500 de sua mãe e abriram o primeiro El Chico em Dallas na 3514 Oak Lawn Ave., próximo ao Lucas B & ampB, onde agora fica o Pappadeaux Seafood Kitchen. Em 1949, eles eram a maior organização mexicana de alimentos no país, com 250 funcionários e US $ 1,25 milhão por ano em vendas.

Mais uma vez, a tecnologia era adequada para o menu. O negócio de processamento de produtos da Califórnia recebeu um grande impulso durante a guerra. Mais tarde, na década de 1940, quando as tropas voltaram para casa, não havia uma grande base de clientes para todos aqueles temperos desidratados e pimentões enlatados. “Eles começaram a vender para restaurantes mexicanos no Texas”, diz John. “Compramos pimenta em pó em tambores de 100 libras. A certa altura, El Chico era o terceiro maior consumidor de abacate nos Estados Unidos. ”

Os cinco irmãos Cuellar que construíram El Chico: Willy Jack (à esquerda), Mack, Alfred, Gilbert e Frank, em 1973.
Fotografia cortesia de CRO, Inc.

O negócio cresceu rapidamente. Outro El Chico foi inaugurado em Lakewood em 1946, um em Fort Worth, mais dois em Dallas, incluindo um em Inwood Village (agora Cantina Laredo) em 1949. Naquele ano, os cinco filhos, “Mama's boys”, como eram conhecidos— Gilbert, Mack, Alfred, Frank Sr. e Willie Jack - juntaram seus recursos para formar um único negócio.

Entre 1968 e 1998, os irmãos venderam e compraram de volta o negócio seis vezes, ganhando dinheiro a cada vez, diz John. Em 1961, os Cuellars receberam um telefonema de Angus G. Wynne Jr., parte da família que era proprietária do Star Brand Ranch em Kaufman, onde Adelaida criou sua família. Wynne estava fazendo uma aposta selvagem em um parque de diversões em Arlington. Ele estava chamando isso de “Six Flags Over Texas”, referindo-se às muitas culturas que compõem o estado, e ele queria que seu velho amigo administrasse o restaurante na seção “México” do parque.

“Esse foi meu primeiro trabalho na empresa”, diz John. “Eu tinha 16 anos. A maioria das pessoas nos Estados Unidos ainda não sabia o que era um taco.” No dia da estreia, John teve um gostinho da taco-mania que viria na próxima década. “Acabamos as cascas de taco. Ficamos sem tamales. Ficamos sem pratos e copos de papel. ” El Chico, no Six Flags, era o restaurante de maior volume da rede.

El Chico abriu o caminho, mas outras famílias fizeram valer suas reivindicações. Em 1947, no Tupinamba de Sonny Dominguez, os tacos fritos ficaram famosos. As enchiladas de frango com creme azedo da Mama Ojeda e as tortilhas de farinha batidas à mão no Herrera's atraíram multidões à Maple Avenue. A comida mexicana ao estilo de Austin veio para o norte, primeiro com Pete Dominguez, cujo prato mexicano “pete-za” e George Poston em Los Vaqueros eram os favoritos de Park Cities.

Com o passar dos anos, El Chico oscilou entre uma empresa privada e uma empresa pública, mas os Cuellars sempre estiveram ligados a ela. Uma vez por semana, todos os cinco irmãos, multimilionários com negócios em 14 estados, se reuniam na casa de suas mães para almoçar. Eles começaram a realizar reuniões familiares de férias, que incluíam muitos funcionários da El Chico, no El Chico in Fair Park (agora o Velho Moinho).

A mãe de Mico Rodriguez era caixa no El Chico, e seu pai era gerente.

“El Chico tinha uma cultura real própria”, diz ele. “Lembro-me da primeira vez que fui à festa de Natal da família no Fair Park. Não havia nada parecido. Esses foram os cinco padrinhos da comida mexicana. Eles tinham uma aura e uma presença magnética para mim. Eu pensei então: 'Isso é o que eu quero fazer para o resto da minha vida.' ”

Agora, Mico é coproprietário da Mi Cocina, a atual rede mexicana de peso. Ele não foi o único a se inspirar e treinar em El Chico. Aluminas estão por toda parte, e muitos dos famosos restaurantes Tex-Mex de Dallas têm suas raízes em El Chico. David Franklin, que fundou On the Border, começou em El Chico. Chuck Anderson, de Abuelo, costumava trabalhar no El Chico. O Pulido's era administrado por outro ramo da família Cuellar, descendente de uma das irmãs que se casou com Gabriel Gamez. Frank Sr. fundou o La Calle Doce, o primeiro restaurante de frutos do mar Tex-Mex da cidade, e o Ranchito and Tejano, o único restaurante que ainda pertence aos acionistas da família. Depois de deixar El Chico para trás, Gilbert Sr. voltou ao negócio para abrir a primeira Cantina Laredo em Addison em 1984. O ex-gerente do El Chico, Raphael Carreon, abriu o Raphael's, que foi reencarnado como Rafa's na Lovers Lane. Desperados, o bar de boomers pós-colegial fundado por El Chico ex George Levy, acaba de celebrar seu aniversário de 30 anos. E os pais de Mico, Ana e Butch Enriquez, abriram o Mia's na Lemmon Avenue em 1980. Hoje, ainda é um dos bares mais populares da cidade.

Era o neto de um Cuellar que deu indiscutivelmente o maior salto tecnológico da história do Tex-Mex. Em 1974, em um restaurante chamado Mariano's na Cidade Velha, Mariano Martinez serviu a primeira margarita congelada, usando uma máquina de sorvete expresso adaptada que agora fica no Smithsonian. A invenção da margarita congelada gerou um novo gênero de restaurante-bar Tex-Mex, onde os solteiros vinham tanto pelas bebidas quanto pela comida. A cena da margarita de solteiros swing se espalhou para Moctezuma's na McKinney e Genaro's, onde Monica Greene (Monica's Aca y Alla) conheceu grande parte de sua futura clientela.

Um ex-aluno de El Chico levou a Tex-Mex em uma direção diferente. Mario Leal abriu o Chiquita, o primeiro restaurante mexicano com toalhas de mesa brancas em Dallas, onde as luzes de Natal permanentes e a decoração kitsch foram substituídas por flores de papel coloridas gigantes. O serviço foi gentil, não apenas eficiente. Leal ficou famoso por seus tacos ao carbono, bife envolto em tortilhas de farinha, o precursor da fajita.

À medida que os restaurantes mexicanos se tornaram mais populares entre os anglos e a culinária mais familiar, North Dallas começou a “descobrir” restaurantes mexicanos nos bairros mexicanos. Todo mundo tinha seu lugar “secreto” Tex-Mex favorito - A.J. Gonzales atrás de KERA na Wolf Street, Cafe Rincón na Harry Hines, Rosita's na Maple. Guadalajara, na Avenida Ross, tornou-se o local para refeições pós-clube. Às 3 da manhã, o lugar estava lotado com garotas descoladas vestidas com a Norma Kamali e garotos presunçosos de Stray Cat devorando enchiladas de queijo com um Tecate.

Os sabores do Tex-Mex também se infiltraram nos restaurantes sofisticados. Os chefs locais Stephan Pyles, Dean Fearing e Avner Samuel foram fortemente influenciados pelos ingredientes do sul da fronteira, que estabeleceram a base para o que ficou conhecido como Southwest Cuisine.

A pequena britânica impetuosa Diana Kennedy, em seu livro de 1972 As culinárias do México, traçou uma linha enfática entre a comida mexicana interior e a comida mexicana anglicizada que ela chamou de “Tex-Mex”. O termo foi concebido como um insulto, implicando a bastardização da autêntica comida mexicana.

“‘ Bastardização ’é o termo perfeito para Tex-Mex”, diz John Cuellar. “Mas Gilbert Sr. usou Tex-Mex para descrever a comida em El Chico em 1954. E nós temos os documentos para provar isso.”

Mesmo com o direito de se gabar, o Tex-Mex se tornou uma culinária própria. E os Whoopee Lulas agora estão comendo pratos combinados em Dubai.

O BANCO DE COMBINAÇÃO PERFEITO

Fotografia de Manny Rodriquez, food styling de Brook Leonard e Scott Hartzler

Encare: estamos emocionados com nossos remédios Tex-Mex favoritos. Vamos a um lugar com as crianças, a outro para um casal (ou três) margaritas com nosso nº 5. Almoço? Talvez o buraco na parede na esquina do escritório. Ao longo do ano passado, experimentamos todos eles e inventamos nosso prato de combinação de fantasia, combinando nossos itens favoritos em um prato. O resultado? Uma última ceia pela qual morrer.

FEIJÕES
Sem feijão, não há Tex-Mex. They’re obligatory on any combo plate but also surface as a not-so-secret ingredient everywhere else: nachos, tostadas, quesadillas, enchiladas, burritos, and tamales. There’s a host of variations, from ranchero and charro beans with bacon, chilies, and tomatoes, to “drunken,” or borracho, beans with beer. But you know what the real deal is: frijoles refritos—refried beans, baby, mashed once with lard and heated on a skillet. Refried-bean perfection boils down to “creamy plus fluffy,” and that’s exactly how they do it at Aparicio’s (216 E. Virginia St., McKinney. 214-733-8600).

RICE
Rice always gets eaten last—if at all, poor thing. It plays the same thankless role in Tex-Mex as in Asian food: stay in the background, fill out the plate, and sop up the heat. Hey, we can’t all be tacos. It’s actually known as “Spanish rice” and feels like an afterthought, despite the Tex-Mex tendency to give it a natty orange tint by cooking it with tomato. Onion, pepper, and garlic are in there, too. Heck, some places go all out and add the random kernel of corn or pea. This lends some much-needed texture, because the rice usually gets so overcooked that you can’t tell one grain from another. The best, found at Margarita Ranch (Mockingbird Station, 5321 Mockingbird Ln. 214-824-3573), is warm and moist and spiked with corn and diced carrot.

TAMALES
Mexicans were toting around tamales long before the Earl of Sandwich invented his namesake snack. These pancakes of ground corn, rolled inside a husk and steamed, were the original portable meal. The big variable in tamales is the filling, and pretty much anything goes: shredded chicken, chili con carne, shrimp, mushrooms, corn, jalapeños, spicy black beans—even fruit and nuts. Modern fillings include gourmet goodies such as goat cheese or sun-dried tomatoes. But if you’re talking Tex-Mex, you’re talking meat, especially pork, seasoned with cumin or chili powder and slow-cooked until it falls apart into long, tender shreds. They’re a specialty and the best at La Popular (5004 Columbia Ave. 214-824-7617).

CHIPS
A moment of silence for Rebecca Webb Carranza, who invented the tortilla chip in 1950 and passed away in January ’06. Determined to recycle the imperfect specimens at her Los Angeles tortilla factory, she cut them into triangles and deep-fried them. Tex-Mex has never been the same. When cut extra thin, they become light and crisp, though sometimes oily. The alternate version comes thick and sturdy, almost like corn chips, primed to stand up to dip. Newer “artisan” chips contain stone-ground or blue corn. But there’s none of that froufrou stuff in Tex-Mex, where pale “restaurant style” chips have but one purpose: to scoop salsa. The best are served perfectly warm and salty at Herrera’s (4001 Maple Ave. 214-528-9644).

Matt Martinez, Matt’s Rancho Martinez (right)
A self-described “fourth-generation Tex-Mex cook,” Martinez grew up working in his family’s Austin restaurant, Matt’s El Rancho. “Once you get into real Tex-Mex, your soul and spirit will cry out for it,” he says. Although the family recipes for chiles rellenos and Bob Armstrong dip are legendary, Martinez is given to experiment with new twists on Tex-Mex. He recently released a cookbook called Mex-Tex. His son Matt (“No. 3”) runs the family restaurant in Lakewood.
Photography by Tadd Myers


The Rest of the Best: Houston's Top 10 Tex-Mex Restaurants

Support the independent voice of Houston and help keep the future of Houston Press free.

It's been more than a century since the first Tex-Mex restaurant opened in Houston. George Caldwell brought The Original Mexican Restaurant to our city in 1907, influenced -- most agree -- by a restaurant of the same name in his hometown of San Antonio.

It would be another 20 years before Felix Mexican Restaurant opened on Lower Westheimer as one of the Tex-Mex restaurants that -- along with Ninfa's, Molina's and Leo's -- would define the genre in Houston. And it would take at least 40 more years before the cuisine had a definitive name: Tex-Mex, used to qualify a cuisine that neither purely Mexican nor purely Texan but an organic fusing of a blend of cultures throughout the region.

Diana Kennedy didn't see it that way, however, and the famous cookbook author dismissed Tex-Mex as Americanized Mexican food served at "so-called Mexican restaurants." This didn't sit well with Texans or Tejanos, who'd been serving what they simply referred to as "Mexican food" for decades.

"Texas-Mexican restaurant owners considered it an insult," wrote former Houston Press food critic Robb Walsh in his introduction to a six-part series on the history of Tex-Mex in 2000. To this day, you can usually bet that if a Texan says, "Let's go out for Mexican," you know they're talking about Tex-Mex.

Although Leo's and Felix are both closed now, Ninfa's is still recognized as the birthplaces of fajitas and Molina's as the standard bearer for the classic Tex-Mex dish of cheese enchiladas topped with chili con carne. And although Kennedy was initially dismissive of the genre, Tex-Mex is now considered to be America's first regional cuisine -- beloved not just in Texas, but throughout the world.

It's fajitas and enchiladas dishes that continue to define Tex-Mex cuisine in Houston, as much as frozen margaritas in Dallas, or the way the puffy taco symbolizes Tex-Mex in San Antonio. In compiling this list, I wanted to spotlight the 10 restaurants in Houston that preserve the standards of these beloved dishes -- the fajitas, the cheese enchiladas, the chili con queso, the margarita -- and serve as cultural touchstones for the history of the cuisine itself.

Observação: In order to be considered for this list, a restaurant must serve the Houston Tex-Mex trifecta of fajitas, enchiladas and margaritas.

Honorable mention:

El Tiempo, Guadalajara, Los Tios, Sylvia's Enchilada Kitchen, Irma's and Lankford Grocery (on enchilada days).

From the outside, this Tex-Mex restaurant looks like another strip center sadsack at the corner of the Katy Freeway and Kirkwood. Inside, however, you'll find it consistently packed -- and somewhat of a neighborhood secret out in Memorial. La Fiesta (which first opened in 1972) used to have additional locations, but this is one of two left (and the better of the pair). Service is king here, and the waiters tend to remember you and your entire family after only one visit. Guacamole is made tableside and deftly seasoned, perfect for smearing on a hot flour tortilla with some equally well-seasoned beef fajitas. Cheese enchiladas are gooey and wonderful and covered with classic chili gravy.

There is absolutely nothing fancy about Don Carlos, and that's what I like about it. It's resolutely old-fashioned, from the Brandy Alexanders you can order after dinner to the friendly waitresses who seem to have been there for decades. The tart, sweet frozen margarita here is one of the best around it's terrifically cheap and consistently good. Ditto the slim-cut but juicy beef and chicken fajitas, which are on special Mondays and Wednesdays. Cheese enchiladas come with a chili gravy that tastes homemade and queso is free alongside your chips and spicy red salsa. Like the Original Mexican Restaurant, the original Don Carlos on Harrisburg wasn't opened by Mexicans. Instead, it was opened by brothers Gerry and Christos Stathatos in 1986, and now features two other locations in Houston -- plus one in Waco.

Lupe Tortilla gets a lot of flack for its child-friendly policies, but that may soon be a thing of the past: Many of the locations are removing the sandbox/ playground/ nightmare pit to make room for additional seating. The original location off Katy Freeway and Highway 6 is still my favorite, although the chain has now expanded to include a dozen spots in the greater Houston area. Fans of Lupe's swear by the lime-laced fajitas, and rightly so. Along with the stiff margaritas, they're some of the best and most consistent fajitas in Houston.

The real draw of El Real isn't its late-night hours nor its cavernous dining room nor even its patio perched on a busy stretch of Westheimer: It's the fact that the restaurant -- partly owned by Tex-Mex historian Robb Walsh -- is committed to preserving the cuisine in both the dishes it serves and the memorabilia it houses in a mini-museum upstairs. This is your father's Tex-Mex, in the best possible way: Beans are made with lard, tortillas are made fresh in-house and cheese enchiladas are smothered in chunky, beefy chile con carne.

The cult of Lopez has strong, deep roots in southwest Houston, where the family-oriented Tex-Mex temple has been serving combo plates and queso since 1978. That's when Mexican immigrant Rodrigo Lopez -- who first came to the United States in 1962 -- opened the restaurant he still runs today with his wife Bertha, sons Jonathon, Jose and daughter Ana. What's so mesmerizing about Lopez is how the well-oiled machinery of the place can serve so many people in one evening while still turning out top-notch plates of enchiladas and tamales to every single diner. It will either make you avoid the restaurant at peak hours or seek it out to be a part of the fun, frenzied action. Pableuax Johnson once wrote of Lopez that it "epitomizes the old-school Tex-Mex family restaurant. Clean, fast and loud, it's not a homey, family-run cocina but a family-friendly fallback built for high volume and informal charm."

Spanish Village has a long and complex history, as tends to happen when a restaurant is more than 50 years old. Houston used to have two Spanish Village restaurants, born of a feud that lasted for years -- one at 4811 Lillian and one at 4720 Almeda. The Christmas-light-covered Almeda location eventually outlasted the Lillian location and is the only remaining Spanish Village today, serving what Walsh once called "vintage Tex-Mex at its finest." The enchiladas a la Taylor are the best example of that vintage Tex-Mex, topped with plenty of chile con carne, chili gravy and raw white onions, while the margaritas and their signature dagger-like ice shards remain the stuff of Houston legend.

Molina's is famous for a few things: The Jose dip, in which seasoned beef taco meat is blended together with queso. For being President George Bush's favorite Tex-Mex restaurant, which he visited with regularity for decades. And for being the oldest continually operating Tex-Mex restaurant in Houston, open for over 70 years. Walsh proclaimed its enchiladas de Tejas to be some of the best in the city, while I'm a fan of the Mexico City combo platter -- another Tex-Mex standard -- that hasn't changed since the restaurant was founded in 1941.

As with Spanish Village, a long and winding road led to the Ninfa's on Navigation we now know and love -- and the only Ninfa's that belongs on this list. The 40-year-old Tex-Mex restaurant has its own Wikipedia page devoted to the years of complicated history, but what matters most is this: Ninfa's gave us fajitas and the much-imitated creamy green sauce made with avocados, both after Mama Ninfa Laurenzo's own recipes. "The Original Mama Ninfa's on Navigation is the restaurant that made fajitas famous," wrote Robb Walsh in 2010. "And it's one of the last places where you can eat fajitas that taste like they did in the old days." Current chef Alex Padilla has updated the menu with a slate of adventurous, modern dishes, but the famous fajitas (and homemade flour tortillas, green sauce and much more from the original menu) remain exactly the same.

This wonderfully festive, colorful and inexpensive neighborhood place has a spacious covered patio, efficient waitstaff and large portions of some of the best Tex-Mex in Houston. As an added bonus, the Teotihuacan on Airline (my favorite of the two locations) is easy to find: Just look for the brightest pinkest restaurant you've ever seen. The green tomatillo salsa, charro beans and thick, handmade corn tortillas are awesome, as are its daily breakfasts. But it's the grilled items like fajitas, shrimp and mixed parrilladas, the cheap but strong margaritas and the singularly spectacular snapper al cilantro that keep me coming back week after week.

The family-run restaurant La Mexicana has been serving Montrose its Tex-Mex since 1982, and the food reflects those years of loving care. You'll find old favorites like entomatadas here that are a rarity on more modern Tex-Mex menus, as well as huge weekend portions of soul-saving stuff like menudo e barbacoa breakfast tacos. If the line gets too long, seat yourself at the bar or grab some tacos to-go they're made to order and always fresh. For a restorative weekend breakfast, an order of menudo and a breakfast taco will cure anything that ails you. And at dinner, the tampiqueña platter with a cheese enchilada over La Mex's perfectly seasoned, perfectly chargrilled beef skirt steak is the best of both worlds -- fajita and enchilada all at once.

Keep the Houston Press Free. Since we started the Houston Press, it has been defined as the free, independent voice of Houston, and we would like to keep it that way. Offering our readers free access to incisive coverage of local news, food and culture. Producing stories on everything from political scandals to the hottest new bands, with gutsy reporting, stylish writing, and staffers who've won everything from the Society of Professional Journalists' Sigma Delta Chi feature-writing award to the Casey Medal for Meritorious Journalism. But with local journalism's existence under siege and advertising revenue setbacks having a larger impact, it is important now more than ever for us to rally support behind funding our local journalism. You can help by participating in our "I Support" membership program, allowing us to keep covering Houston with no paywalls.


7 of the Best Tex-Mex Restaurants in Houston

Craving Tex-Mex? You won’t be disappointed in Houston. For more than 100 years, the cuisine has held a special place in the city’s culinary scene, making it one of the first items visitors seek out when they are in town. Want to know where to find the best puffy tacos, nachos, fajitas and margaritas? Read on for our top picks.

Armando Palacios’ Upper Kirby namesake is as famous for its upscale Mexican fare as it is for its see-and-be-seen clientele. The iconic restaurant has been a style staple among well-heeled Houstonians and celebrities for decades. White linen-topped tables set the stage for Armandos’ famously-potent margaritas, verde-sauce-topped enchiladas and the eatery’s signature appetizer𠅌horizo queso flameado paired with piping-hot tortillas.


13 Popular Tex-Mex Restaurants in San Antonio

1) Mi Tierra Cafe y Panaderia

218 Produce Row, San Antonio 78207

Originally opened in 1941 in San Antonio’s legendary Mercado, Mi Tierra has evolved into a San Antonio landmark. Open 24 hours a day, enjoy a meal and then browse the bakery while listening to live mariachi music. Popular menu items include huevos rancheros, menudo, “Oro de Mi Tierra" Margarita, and Steak a la Tampiqueña.

Customer review: “The mix of smells that come out of the kitchen area are amazing and intoxicating. Everything from fresh grilled steak and fajitas to traditional Mexican food fare to fresh-brewed coffee. They also serve breakfast all day long, so getting an order of enchiladas with eggs on top was no problem. Top it off with a tres leches cake and a cup of coffee, and it's a meal that's hard to beat.” -Temple

2) Teka Molino

Two locations:

  • 7231 San Pedro Ave,San Antonio 78216
  • 1007 Rittiman Rd,San Antonio 78218

Established over 70 years ago, Teka Molino is another San Antonio mainstay. Stop by for their popular breakfast tacos, and be sure to sample the carne guisada and chalupas. Customers also rave about the puffy tacos, beef enchiladas, and guacamole.

Customer review: “Bean rolls were amazing. I loved the guacamole cups and the fried cheese tacos. They have the very best frozen margaritas. Staff was very friendly.” -Susan

3) Garcia’s

3820 Farm to Market Road 3009, Schertz 78154

Garcia’s came up repeatedly as a favorite. The restaurant was opened in 1988 by Curtis and Antonia Garcia, who decided to share their family recipes with the local area. Garcia's is now in seven different locations in Texas. Tortilla soup, menudo (only available Friday through Sunday), and freshly made tortillas and tamales are a few fan favorites.

Customer Review: “Everything is so great!! Their rice is the best rice I've ever had. Their tortillas are fresh and homemade.” - Crystal

4) Melanie’s Cafe

502 Main Street, Schertz 78154

Melanie’s Cafe is another little gem in the San Antonio suburb of Schertz and is known for its extensive menu of breakfast tacos (chicharron/egg, nopal/egg, and chorizo/bean tacos are just a few of the offerings). Other recommended items from customers include pollo en mole, carne asada, and the enchilada plate. Don’t miss Melanie’s budget-friendly lunch specials!

Customer Review: “New go-to spot in our community. Really surprised on how awesome the food taste! I have gone 4 times in the past two weeks if that says anything.” - Don

Photo by Herson Rodriguez on Unsplash

5) La Fonda on Main

2415 North Main Avenue, San Antonio 78212

Open since 1932, La Fonda on Main prides itself on casual fine dining and a relaxed atmosphere. The restaurant offers Tex-Mex as well as interior Mexico cuisine. With extensive outdoor seating, sip a margarita on the large patio before digging into your delicious meal.

Customer Review: "Oh, how I love La Fonda on Main! Delicious food and a gorgeous ambiance if you can snag a seat outside under the great oak tree. My favorite dish is the Alambre Mixto - a skewer with prime beef, mega shrimp, and pork loin. The best part, however, is the bed of chicken nopalito rice that it's served over. DELICIOUS!! In addition to the great food, they have a decent cocktail menu." -Monica

6) Alamo Cafe

Two locations:

  • 10060 IH-10 West,San Antonio 78230
  • 14250 San Pedro Ave, San Antonio 78232

Step inside the Alamo Cafe, and you’ll be greeted with the aroma of tortillas being freshly made. Pause a minute to watch the process through the glass window, then get ready for a feast! Fans recommend the carne guisada plate, tortilla soup, and dinner specials. Several mentioned that they also have the best chicken fried steak! (You estão in Texas, after all…) Alamo Cafe also offers catering.

Customer Review: “Amazing food, service, and the tortillas with the butter take me back home to my grandma's handmade tortillas. This time I had the shrimp and spinach quesadillas and OMG, I just love coming here!” -Simmone

7) Rosario’s

Two locations:

  • 910 S Alamo St, San Antonio 78205
  • 9715 San Pedro Ave, San Antonio 78216

Consistently voted by local food critics as “one of the best places to take out of town guests,” the anchor restaurant in the historic King William district makes your meal an unforgettable experience. Recommendations include the shrimp nachos, ceviche, pozole, chile rellenos, and specialty margaritas. The expansive space full of color and art creates an ambiance that only enhances the delicious food! Vegetarian and gluten-free options are available.

Customer Review:

“Three big reasons to come here:

1. Margaritas Lover's Heaven: over twenty margaritas flavors to try.

2. Wallet Friendly: everything is less than $15, most entrée dishes are less than $10.

3. Happy stomach and heart: no wonder locals love it here, food is so yummy and service is superb.” -Candy

8) La Fiesta Patio Cafe

1421 Pat Booker Road, Universal City 78148

With its laid back atmosphere, La Fiesta Patio Cafe is a favorite for those stationed at nearby JBSA Randolph. Sample the chalupas compuestas, their don’t-miss puffy tacos, enchiladas verdes, and then finish your meal with homemade tres leches cake. Sure to become a family favorite!

Customer Review: “Best puffy tacos on the Northeast side of town. Great food, great service. Never had a bad meal here.” -Lori

9) Chuy’s

Several locations in the San Antonio area, including:

  • 15639 I-10 West
  • 18008 US Hwy 281 N
  • 14855 I-35 North

While you may know Chuy’s from one of its locations across 19 states, you may not realize that the original Chuy’s opened in Austin, Texas back in 1982. Each restaurant has its own look and feel, making the experience feel less like a chain and more like a Mom and Pop restaurant. Even locals eat here! Try Chuy’s roasted chicken enchiladas with green chile avocado sauce, ‘Big as yo’ face’ burritos, and signature creamy jalapeno dip and freshly made tortilla chips.

Customer review: “Best Tex Mex out there. Always love what I get every time. Their Hatch [chile] chicken enchiladas are INCREDIBLE!” -Adrianna

10) Pappasito’s Cantina

10501 I-10 W, San Antonio 78230

Pappasito’s was mentioned again and again when I asked locals for their favorite spot! This family owned and operated chain offers up legendary Tex-Mex. Come for the frozen watermelon margaritas, stay for the Baja fish tacos and puffy sopapillas.

“Still my favorite place in San Antonio. There are a lot of great Mexican places but none with the quality of ingredients, variety of food, and fun atmosphere. One of my weekly go to places for many years.” - Doug

Photo by Emily Simenauer on Unsplash

11) La Hacienda de los Barrios

18747 Redland Road, San Antonio 78259

A landmark in north San Antonio, La Hacienda has a commitment to ‘follow in their mother’s footsteps’ by offering a welcoming environment paired with extraordinary food. Known for its beautiful decor and large outdoor patio seating, start off your meal with a refreshing mojito or “Sangarita” (sangria infused margarita), then take a pick from the extensive menu featuring classic Mexican dishes such as pollito en mole and local favorites like the traditional gravy topped (chile sauce) enchilada platter. Treat yourself to the delicious empanadas filled with guava and cream cheese or sample the vanilla flan.

Customer Review: "Born and raised in San Antonio. To this day Los Barrios is still my favorite spot for Tex-Mex.” -Sarah

12) Viola’s Ventanas

9660 Westover Hills Blvd, San Antonio 78251

Part of the Los Barrios family of restaurants, this large restaurant in northwest San Antonio has many of the same menu items, including the Famous San Antonio Puffy Taco and Empanada de Carne. Featuring “tacos to enchiladas and everything in between,” Viola’s is known for its fresh ingredients. Try the shrimp stuffed chile relleno or breakfast served all day. Customers also rave about the enchiladas verdes and chicken or beef fajitas.

Customer Review: “Our favorite spot for authentic Tex Mex and a to-die-for outside patio with lots of trees, misters, and an awesome enclosed play area for the kiddos.” -Pat

13) El Chaparral

Two locations:

  • 15103 Bandera Road,Helotes 78023
  • 2838 N. Loop 1604 E.,San Antonio 78232

Starting as a self-described hole-in-the-wall restaurant back in 1972, the family owned and operated El Chaparral has grown into two locations, showcasing their family’s recipes with a promised “taste like no other.” Regulars say you won’t be disappointed if you sample the margaritas, fajitas, Mexican street tacos, and El Chaparral's special cheesecake.

Customer Review: “Refried beans are the best in the Galaxy. Easily.” -David

Get more San Antonio information:

Connect with MilitaryByOwner on Facebook and Twitter, and be sure to let us know YOUR favorite spot in San Antonio!


SAN ANTONIO

Cascabel Mexican Patio

salsas: The austere, highly puréed, brick-red chile de árbol is not for sissies the mild, slightly gelatinous roasted tomatillo is intensely sweet and tart at once. vibe: Basically a hole-in-the-wall, Cascabel has nine tables covered in lively Mexican tablecloths (more outside), a primitive mural of a rattlesnake coiling around all four walls, and AM-radio ranchero music blasting from the kitchen.

The funky eatery keeps it traditional with dishes like puerco en pipián, a fine dice of pork immersed in a creamy-crunchy pumpkin-seed sauce scattered with sesame seeds. This bountiful stew will warm you up a fresh nopalito salad of cooked cactus (topped with chopped tomato, onion, and queso fresco) will cool you down. Despite bearing the name mole de olla, the cafe’s russet-hued beef soup has nothing to do with the familiar thick sauce instead it is a rejuvenating bowl of tender beef chunks, hunks of corn on the cob, zucchini, and epazote leaves in a dark, rich broth. To finish your meal, nothing beats the tropical flavor of a guava empanada, its coarse whole-wheat crust positively oozing with sweet-tart jam.
1000 S. St. Mary’s, 210-212-6456. Lunch Mon–Fri 10:30–2, Sat 10–3. Dinner Mon–Fri 6–9. Closed Sun.

Cielito Lindo

salsa: A spicy, coarse grind of lightly roasted tomato with tiny bits of jalapeño and cilantro. vibe: The well-turned-out open space brings to mind a nice contemporary restaurant in a Mexican city mostly Spanish is spoken in the dining room (and occasionally shouted from the lively adjacent bar during sporting events).

Little here is altered for American tastes, including what may be the best nopalito salad in town. This platter of julienned cactus pads is ultra-fresh and enlivened with diced tomato and serrano in a light oil-and-lime-juice dressing. Around the edge of the platter is a ring of big, airy chicharrones (yes, pork rinds), perfect for scooping. At first, the weekend-only pozole verde (chicken-and-hominy soup) served with tostadas comes off two-dimensional and flat. But add the condiments, including finely diced radish and onion plus emulsified green chile, and the brothy stew springs into vivid focus. For dessert, definitely choose the crepas orizabas. Neatly folded, the paper-thin pancakes are scattered with crushed pistachios and bathed in a delicate, warm sauce based on (drum roll, please) evaporated milk. Trust us: sounds boring, tastes great.
19141 Stone Oak Pkwy., 210-545-6965. Open Tue–Thur 11–10, Fri & Sat 11–11, Sun 9–9. Closed Mon.

El Siete Mares

salsa: One-dimensional and tomatoey doesn’t live up to the rest of the menu. vibe: The convivial low-ceilinged room, with colorful plaques of marine life on every wall, feels like a diner in a Mexican seaside town. Expect occasional live conjunto music.

AS fresh as the blue waters of the Caribbean, the Ceviche Siete Mares seduces you with generous quantities of sliced Manzanilla olives and an olive-oil marinade the garnish gives an unexpected twist to the lime-cured tilapia tossed into a salad of shredded carrots, diced tomato, and onion. The food of cravings, the camarones enchipotlados offers a catch of medium-sized shrimp in a complex and buttery-textured chipotle cream sauce the spice level gently sears but never scorches. But perhaps the most astonishing item at “the Seven Seas” is not its surf but its turf—specifically cabrito. Braised, then finished on the grill, this superlative baby goat is tender yet crisp on the edges. Accompany it with refried beans, which have an almost chocolaty depth.
3831 W. Commerce, 210-436-6056. Open Mon–Thur 11–10, Fri & Sat 11–midnight, Sun 10–10.

Guajillo’s

salsa: Salty, zesty red-brown purée that emphasizes guajillo chiles. vibe: Wait your turn for a table at this casual, usually busy Loop 410 storefront with an Alamo-like facade.

You’ll live a life of unending regret if you don’t order the albóndigas, tender meatballs of peppery ground beef, white rice, and crumbled boiled egg in an incomparable smoky-spicy-sweet chipotle sauce. The inevitable reaction to this dish is “Wow!” or “¡Aiii!” Gritty in the best possible way, the mole verde takes nutty, mild pumpkin seeds and combines them with serrano and poblano chiles for a bit of spunk have it with your choice of chicken or zucchini. About as straightforward as it gets, the chicken cutlet prepared a la plancha (grilled) comes off fork-tender and perfectly seasoned tuck the last remaining morsels into a delicate, handcrafted tortilla de maíz. Even though all the desserts are notable, the arroz con leche stands out for its perfect balance of rich milk sauce, plump and winey raisins, and fragrant canela, a.k.a. Mexican cinnamon. Everything here is authentic, homemade, and well beyond adequate.
1001 NW Loop 410, 210-344-4119. Open Mon–Thur 11–10, Fri & Sat 11–11, Sun noon–9.

La Fonda on Main

salsa: Garden fresh and medium hot, made from a fine blend of raw tomato, jalapeño, and garlic. vibe: A dignified older house, with white walls, dark carpet, pretty Talavera pottery plates, and vintage bullfighting posters on the wall.

The dining room is traditional, the kitchen creative and surprisingly contemporary. Chef Javier Flores’s chayote with queso crema is a wonderful surprise, combining cubes of the light-green squashlike vegetable with a sauce of cream and queso fresco think beurre blanc and you’ll have the right idea. Fusion notions go even further with chicken breast stuffed with zucchini blossoms—one of the seasonal specials that Flores labors to turn out. Adorned with a squash blossom cream sauce, it trends Mediterranean with its accompanying ancho chile–seasoned risotto. The flavors of Mexico return in force, however, with the tamal zacahuil, a giant chicken tamal about the length of a whole banana leaf. Divided into serving pieces like tamale pie, it has a delicious and complex ancho sauce marbled right into the moist masa.
2415 N. Main Ave., at Woodlawn 210-733-0621. Open Sun–Thur 11–9:30, Fri & Sat 11–10:30.

La Gloria Icehouse

salsas: The avocado-cilantro-lime is smooth and mild the medium-hot tomatillo counters the fruit’s inherent sweetness with flecks of chile de árbol. vibe: Pure energy bounces off the walls of the tall, airy room with its rolling garage doors, sinuous twisted-wire tables, and queue of customers winding out the door.

Chef-owner Johnny Hernandez has spent years traveling around Mexico to assemble this eclectic collection of “Mexican street food.” What stands out? The authentic and unusual tamal del día, for sure. Swathed in a banana leaf, the enticing creation recently featured ground beef, aromatic spices such as cinnamon and cloves, and a hidden trove of dried apricots, prunes, and dates. Of several ceviches, the verde is not to be missed. It’s rife with a virtual garden of avocado, tomatillo, cilantro, and green olives, which add layers of bold flavor to lime-spritzed diced black drum. If you’re not feeling up to “bold,” check out the trusty tacos al pastor with fresh pineapple. If you are feeling adventurous, finish with a cool cactus-fruit agua fresca. The fuchsia hue is otherworldly.
Pearl Brewery Complex, 100 E. Grayson 210-267-9040. Open Sun, Mon, Wed, & Thur 11–10, Fri & Sat 11–midnight. Closed Tue.

Mary Lou’s Café y Cocina Mexicana

salsa: Mild, deep reddish-brown with roasted tomato and jalapeño slightly too sweet, despite a bit of vinegar. vibe: The menu is muy tradicional, but the slick, contemporary dining room, with its dark woods and upholstered banquettes, is as urbane as a fine restaurant in Mexico City.

Little things count at Mary Lou’s. The chips are fried in-house the tortillas are made fresh when you order. In fact, you can spoil your appetite with these beauties—the flour edition puffed and steamy, the corn version fluffy, moist, and nearly white. Keep on enjoying the latter as a spice-rubbed-fish taco topped with crunchy shreds of fresh cabbage and creamy avocado. Americans who have always wondered about the Mexican obsession with beef tongue should try the excellent version here. Cooked in a hearty brown sauce based on butter and flour (think roux), the lengua guisada falls into delectably tender bites at the touch of a fork. Stewed onion and green bell pepper round out its homey flavor profile.
4405 McCullough Rd., 210-396-7909. Open Mon–Thur 6:30 a.m.–10 p.m., Fri & Sat 6:30–11, Sun 6:30–3.

Rosario’s

salsa: Addictive mahogany-brown roasted tomato and chile. vibe: The cement floors and tall, colorful walls reverberate with the sound of clinking margarita glasses, chattering families and club hoppers, and background pop music.

IF you can tear yourself away from the famous fish tacos or the tacos callejeros (both topped with a snappy cabbage-lime slaw), try the ceviche fino. The secret ingredient is finely diced jícama, which lends crunch and sweetness to the de rigueur elements of tilapia, red onion, serranos, oregano, and leafy green cilantro. As hot as the ceviche is cold, the sopa de pollo tlalpeño-style is layered with flavor after flavor: earthy, chipotle-laced chicken broth diced carrots, tomato, and onions and meltingly soft fresh avocado. Alongside, you get a cup of cumin-tinged rice to splash into the bowl. But indulging in favorite dishes is only half the appeal of owner Lisa Wong’s gathering place the other half is the big, bustling room itself, with its tropical colors and fun knockoffs of Frida Kahlo self-portraits and Fernando Botero fatties (done by artist Gilbert Duran). If you don’t have a good time here, you may need meds.
910 S. Alamo, 210-223-1806. Open Mon–Thur 11–10, Fri & Sat 11–11, Sun 11–9.


Assista o vídeo: 3 Restaurantes mexicanos en Orlando: comida típica neta, fusión Tex Mex y de comida rápida. Ene 2021 (Pode 2022).